Arcomusical Brasil

Arcomusical Brasil é (E à D; L to R): Rafael Matos, Gregory Beyer, José Henrique,Alex Fraga,Daniela Oliveira,Mateus Oliveira, Natália Mitre.



O Projeto Arcomusical Brasil nasceu em 2016, como resultado de uma grande parceria colaborativa entre Gregory Beyer e alguns alunos e ex alunos do Grupo de Percussão da UFMG. Viajaram até a África do Sul para participar na conferência internacional Bow Music Conference, por um convite recebido por Beyer, onde apresentaram as músicas recentes do projeto MeiaMeia do Projeto Arcomusical. As experiências partilhadas entre os músicos na África foram inesquecíveis, de maneira que criou um grande desejo de continuarem a apresentar concertos no nome de Arcomusical aqui no Brasil e então o grupo foi consolidado como Arcomusical Brasil. Em pouco tempo, o Projeto Arcomusical Brasil se apresentou em Durban, África do Sul;  no Conservatório e na Escola da Música da UFMG em Belo Horizonte; e nas Universidades Federais no São João del Rei e no Ouro Preto. Ganharam apoio do  Projeto Música Minas para realizar a viagem à África do Sul, e agora têm planos de desenvolver uma série de pesquisas e apresentações além da temporada 2016.

Projeto Arcomusical Brasil formed in 2016, as a result of a great collaborative partnership between  Gregory Beyer and a small group of current and former members of the UFMG Percussion Group. Due to an invitation that Beyer received in late 2015, in early 2016 they rehearsed intensively and travelled together to South Africa to participate in the international Bow Music Conference, where they presented selections from the composition cycle MeiaMeia. The unforgettable shared experiences performing in Africa led to a great desire to continue presenting this music of Arcomusical in Brazil, and the group chose the name Arcomusical Brasil. In a short time, Projeto Arcomusical Brasil has already performed in Durban, South Africa;  in both the UFMG and Conservatory and the UFMG School of Music; and in the federal universities of São João del Rei (UFSJ) and Ouro Preto (UFOP). The group received grant support through the program, Música Minas, to realize its travels to Africa, and is currently planning a series of research sessions and concerts for the 2016 season.